Rua Francisco Inácio, 564 - Centro - Bebedouro /SP
Perguntas solicitadas frequentemente pelo paciente

AGRADECIMENTO
O Dr. André Parolin, agradece a confiança e a amizade dos pacientes transplantados de córnea. Entre maio de 2000 e janeiro de
2010 , foram realizados mais de 500 transplantes de córnea em pacientes de todos os lugares do Brasil pelo Dr. André Parolin, registrados nas Centrais de Transplantes do interior de São Paulo .

Transplante de córnea e anel de ferrara a laser

O que é a córnea?

A córnea é uma estrutura transparente localizada na parte anterior do olho. Ela permite que as imagens do meio externo penetrem no olho e sejam captadas pela retina. Para o bom funcionamento da córnea, é necessário que a mesma tenha transparência satisfatória e curvatura adequada.

 

Quando se indica o transplante de córnea?

O transplante de córnea é indicado quando a transparência (por exemplo: opacidades, edema, etc)  e/ ou a curvatura  (por exemplo: ceratocone, trauma,etc) da córnea esteja alterada não permitindo uma boa visão.

 

O que é o transplante de córnea?

O transplante de córnea consiste na substituição da córnea alterada por uma córnea doadora que mantenha boas condições. A cirurgia é realizada em aproximadamente 40 minutos, podendo se estender em casos complicados. Clique no quadro abaixo e assista a animação

 


Como é o transplante de córnea a laser?
O transplante a laser é realizado através de laser de femtosecond . Temos utilizado atualmente o aparelho intralase
.



Aparelho de Intralase

 

Qual a diferença entre o transplante convencional e o transplante com laser?
No transplante realizado com laser , os limites da incisão corneana são mais precisos e mais regulares , o que pode proporcionar um numero menor de pontos e uma recuperação de acuidade visual mais rápida.

Os transplantes de córnea são realizados pelo Dr. André Parolin em Ribeirão Preto e á laser, no hospital Albert Eistein em São Paulo.

 
Qual o custo do transplante com laser?
Quando utilizamos o laser ocorre um aumento de aproximadamente 40% no custo da cirurgia.
 

Qual o tipo de anestesia no transplante de córnea?

Atualmente temos utilizado preferencialmente a anestesia local. Em situações especiais pode ser utilizado anestesia geral.

 

Quantos pontos são dados em um transplante de córnea?

A técnica mais utilizada atualmente para o transplante penetrante de córnea é realizada com 16 pontos separados. É difícil a visibilização dos pontos a olho nu.

 

Quando e como se retira os pontos?

Os pontos são retirados após 3 meses de cirurgia e não são retirados todos de uma só vez, isto é realizado por etapas de acordo com o astigmatismo induzido e avaliado através de topografia corneana computadorizada.  Em crianças a retirada de pontos é mais precoce.

 

Qual a porcentagem de sucesso de um transplante de córnea?

O transplante de córnea apresenta alta porcentagem de sucesso. Normalmente varia entre 80 e 90% de sucesso em situações não complicadas (de acordo com estatísticas mundiais). Em casos complicados, a taxa de sucesso pode diminuir conforme a complexidade e da patologia ocular.

 

Quais os riscos de um transplante de córnea?

Os principais riscos de um transplante de córnea são falência primária e rejeição.

 

O que é falência primária?

Na falência primária, a córnea doada não apresenta bom funcionamento. Isto é percebido no primeiro mês pós-cirurgia. Neste caso, deve ser feita outra cirurgia.

   

Quais são os sinais e sintomas de rejeição?

Na rejeição a córnea apresenta bom funcionamento inicial e, algum período após, o paciente pode apresentar diminuição da visão e vermelhidão ocular. É importante o diagnóstico e o tratamento precoce para a recuperação.

 

Até quando o transplante de córnea pode apresentar rejeição?

O período crítico para rejeição é no primeiro ano. Porém, o paciente pode apresentar rejeição até quando viver. Grande parte das rejeicões podem ser tratadas com sucesso se forem diagnosticadas no início. Existe a possibilidade de se realizar outro transplante após a rejeição.

 

Qual o regime pós-operatório?

O paciente deverá usar colírios de corticóide e antibiótico. Em casos especiais pode ser necessário anti-hipertensivo ocular e medicação oral. Deve-se evitar esforço físico no período de cicatrização e dormir do lado contralateral ao olho operado.

 

Como se avalia córneas doadoras?

As córneas recebidas como doação passam por um processo de avaliação quanto à sua condição óptica, sendo utilizadas somente córneas que apresentem boa perspectiva para o sucesso do transplante. Mesmo assim, em alguns casos a córnea doada pode não funcionar adequadamente. São também realizados exames sorológicos nos doadores para descartar possíveis patologias infecciosas.

 

O que se pode esperar de um transplante de córnea?

Geralmente os resultados visuais após transplante de córnea são muito satisfatórios. A visão do paciente depende também da integridade de outras estruturas oculares. Após o transplante, pode levar meses para a visão atingir seu potencial, porém após algumas semanas o paciente já poderá  perceber melhora.

 

Como se inscrever para a fila de transplante de córnea?

O paciente deve ser submetido à uma avaliação oftalmológica completa. Diagnosticado patologia corneana que necessite de transplante e descartada outras possibilidades terapêuticas, o paciente é inscrito.O tempo entre a inscrição e a cirurgia é em média de 3 a 4 meses. Informações pelo telefone (17) 3342 5453.
E-mail andreparolin@mdbrasil.com.br

 

 

Quanto tempo demora após a inscrição para o transplante ser realizado?

Nos últimos dois anos, considerando as cirurgias realizadas pelo Dr. André Parolin,  a média de tempo entre a inscrição e a cirurgia foi de 3 a 4 meses, em alguns casos, o transplante de córnea foi realizado em menos de 30 dias. Foram realizados 94 transplantes de córnea entre maio de 2000 e dezembro de 2002 ( registrados na Central de Transplantes de Ribeirão Preto). O período pode ser reduzido em situações de prioridade que são pré-estabelecidas pela central de transplantes.

 

Pacientes de qualquer estado do Brasil podem ser inscritos através deste site?

Sim, os pacientes de qualquer estado podem ser inscritos e operados pelo Dr. André Parolin.

 

Quais os requisitos para o médico oftalmologista realizar transplante de córnea?

O médico oftalmologista deve ter especialização documentada em transplantes, ser cadastrado no Sistema Nacional de Transplantes e na Central de Transplantes para qual pertence. Isto garante que a fila será respeitada e assegura o paciente que seu médico é competente para indicar de forma precisa, realizar e acompanhar pós-cirurgia.

 

Todos os hospitais podem realizar transplante de córnea?

Os hospitais, assim como os médicos, devem ser cadastrados no Sistema Nacional de Transplantes e na Central de Transplantes para qual pertence.

 

Quanto tempo o paciente tem para chegar ao hospital após o comunicado de que sua cirurgia marcada?

Normalmente o Dr. André Parolin procura deixar um intervalo de 2 a 3 dias entre o comunicado e a data da cirurgia. Assim o paciente tem um período adequado para chegar

com tranquilidade ao hospital.

 

O que é o ceratocone?

O ceratocone é uma patologia na qual há um afinamento localizado da córnea, provocando uma fragilidade e uma protusão localizada. A córnea toma a forma cônica. Isto provoca alterações na curvatura corneana e distorsões na imagem.

 

Olho normal
Ceratocone

 

Qual a idade em que se manifesta o ceratocone?

Normalmente, o ceratocone se manifesta entre os 10 e 20 anos de idade. Porém, em alguns casos, pode se manifestar mais cedo ou mais tarde.

 

O ceratocone é progressivo?

O ceratocone pode ou não progredir, não existe um padrão definido de evolução. O importante é sempre manter consultas regulares com o oftalmologista.

 

Qual a origem  do ceratocone?

Não há até o momento uma etiologia elucidada sobre o ceratocone. Sabe-se que existem casos relacionados à alergia ocular e também casos familiares esporádicos. O ceratocone não é hereditário por regra.

 

O ceratocone pode voltar após o transplante de córnea?

Geralmente não há recorrência do ceratocone após o transplante. Existem casos relatados de pacientes que desenvolveram ceratocone após o transplante. Porém não se sabe se o paciente desenvolveu ceratocone na córnea doada ou a córnea doadora é que tinha predisposição para desenvolver ceratocone.

 

Quando está indicado o transplante de córnea no ceratocone?

O transplante de córnea é realizado no ceratocone quando  o paciente não apresenta visão satisfatória com óculos e/ou lentes de contato ou apresente intolerância ao uso de lentes de contato.

 

Quais os avanços atuais no transplante de córnea para ceratocone ?
Atualmente temos usado o laser de femtosecond para a realizacao de transplantes no ceratocone . Esta técnica permite uma recuperação mais rápida e menor numero de pontos.

 

Todos os casos de ceratocone necessitam de transplante de córnea?

Não. Alguns casos podem ser corrigidos por óculos ou lentes de contato. Outra possibilidade é o implante do anel de Ferrara.

 

O que é anel de Ferrara?

O anel de Ferrara  e  formado por 2 pequenas  pecas de 180 graus  (material acrílico )  que é implantado no estroma corneano (parte media da córnea). O anel de Ferrara foi reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina como procedimento terapêutico para ceratocone através da resolução 1762/05 de janeiro de 2005.
 

Como funciona o anel de Ferrara?

O anel de Ferrara  “regulariza” a superfície corneana que está com a forma cônica no ceratocone. Na maioria das vezes ocorre uma melhora da visão mesmo sem o auxilio de óculos. Pode ser necessário o uso de óculos e/ou lentes de contato após o implante de anel de Ferrara.

 

Quais os avanços na cirurgia de anel de ferrara ?
Atualmente temos usado o laser de femtosecond para o implante do anel de ferrara .
 

Quais as vantagens de se utilizar o laser para o implante do anel ?
Com o uso do laser , o implante do anel é mais preciso , o que proporciona um melhor resultado .

 

Quais os custos da utilização do laser para o implante do anel de ferrara ?
Para utilização do laser no implante do anel , o custo da cirurgia é em média 40% maior em relação ao implante convencional .
 

O anel de Ferrara esta indicado em todos os tipos de ceratocone?

Grande parte dos pacientes com ceratocone podem se beneficiar com o anel de Ferrara, porem é importante uma avaliação para se verificar a possibilidade e a segurança do implante e também as chances de sucesso de cada caso.

 

Qual a probabilidade de sucesso cirúrgico?

O sucesso cirúrgico dos implantes realizados pelo Dr. André Parolin tem sido muito satisfatório. Porem é importante ressaltar que é imprescindível uma avaliação pré operatória minuciosa para se detectar os casos em que o implante não esta indicado.

 

Quais os riscos do implante de Anel de Ferrara?

A complicação mais freqüente do implante de Anel de Ferrara é a extrusão espontânea do mesmo. Isso ocorre em 10 a 20%  dos casos. Não é rejeição. A extrusão depende da espessura corneana do paciente e da profundidade em que o anel foi implantado  . Porem mesmo em casos em que a técnica cirúrgica foi precisa, pode ocorrer extrusão do anel .

 

O que acontece com o olho apos a extrusão do anel de Ferrara?

O olho volta ser como era antes do implante do anel. Esta é uma vantagem do procedimento, ser reversível. É possível um novo implante ou em alguns casos o transplante de cornea torna se necessário.

 

Aonde esta disponível a técnica cirúrgica?

A cirurgia é realizada  em vários centros brasileiros. O Dr. André Parolin é o responsável pelo implante de Anel de Ferrara. Informações sobre anel de Ferrara andreparolin@mdbrasil.com.br

 

O que é ceratopatia bolhosa do pseudofácico?

A ceratopatia bolhosa ocorre geralmente após  cirurgia de catarata ou outras cirurgias oculares. Normalmente, a córnea já apresenta fragilidade antes da cirurgia de catarata. A córnea torna-se edemaciada impossibilitando boa visão.

 

Quando o paciente desenvolve ceratopatia bolhosa?

A ceratopatia bolhosa pode se desenvolver imediatamente após a cirurgia ou levar algum tempo. A córnea toma aspecto branco azulado.

 

O que é distrofia de Fuchs?

A distrofia de Fuchs é uma patologia na qual há uma fragilidade corneana, pode ocorrer edema de córnea sem cirurgias prévias.

 

O transplante de córnea é uma possibilidade terapêutica neste caso?

Para restabelecer a visão, o transplante de córnea é o único meio para a ceratopatia bolhosa. Existem outras possibilidades terapêuticas, porém estas somente propiciam alívio sem melhora visual  e estão indicadas quando o paciente sente dor e está aguardando transplante de córnea.

 

O que é leucoma corneano?

Leucoma é uma opacidade corneana. A córnea toma aspecto branco em toda sua extensão ou em parte.

 

Como se desenvolve leucoma corneano?

O leucoma pode ser congênito ou se desenvolver após doenças infecciosas (principalmente herpes ocular) ou traumas.

 

Como o leucoma corneano prejudica a visão?

O leucoma é uma opacidade que pode se localizar centralmente e também  provocar alterações na curvatura corneana, diminuindo a visão.

 

O herpes pode recorrer na córnea após o transplante de córnea?

Sim, o herpes se localiza no gânglio nervoso e pode recorrer na córnea transplantada podendo determinar a perda do transplante.

 

Existem cuidados especiais no transplante por leucoma pós-herpes?

O paciente deve tomar medicação (aciclovir oral ou similares) por pelo menos 6 meses após o procedimento cirúrgico.

 

 

 

 

 

 

Dúvidas sobre Transplante de Córnea
andreparolin@mdbrasil.com.br
ou (17) 3342 5453

 

Miopia

O que é miopia?

A miopia caracteriza-se pela dificuldade de enxergar para longe.  Na maioria das vezes a miopia é axial (olho com comprimento axial maior) .  Neste caso o foco da imagem encontra-se antes da retina.

 

Miopia Axial
Miopia Refrativa

 

Como e feita a correção por excimer laser da miopia?

A correção da miopia por excimer laser é realizada por "aplacação" da córnea pelo laser , e assim o foco da imagem se torna coincidente com a retina.

 

Como são os resultados pós-operatórios da miopia ?

A cirurgia tem resultados muito satisfatórios em graus até 8 dioptrias. Em alguns casos é possível tratar graus mais elevados do que 8 dioptrias,  porém é necessário uma avaliação previa.

 

Astigmatismo


 

O que é astigmatismo?

O astigmatismo ocorre quando a visão de formas esta alterada.  Por exemplo quando as letras aparecem “borradas".

 

Como é feito a correção do astigmatismo por excimer laser?

A correção do astigmatismo é realizada aplanando o eixo mais curvo e  aumentando a curvatura do eixo mais plano  por conseqüência.

 

Como são os resultados  pós operatórios do astigmatismo?

Os resultados pós-operatórios são muito satisfatórios. É possível tratar graus moderados  de astigmatismo com segurança.

 

É possível tratar miopia e astigmatismo na mesma cirurgia?

Sim a correção de miopia e astigmatismo pode ser realizada simultaneamente.

 

Aonde são realizadas as cirurgias de miopia e astigmatismo?
O Dr. André Parolin realiza suas cirurgias no hospital Albert Einstein em São Paulo que possui aparelhos de última geração para a realização de cirurgias precisas.
 

Excimer laser

Atualmente, o excimer laser é utilizado para correção de miopia, astigmatismo e hipermetropia. Para se submeter à cirurgia, os pacientes devem ser avaliados por  exames pré operatórios para se ter segurança de que a ablação por excimer laser terá segurança, previsibidade e eficácia. Além de exame oftalmológico geral, os pacientes devem obrigatóriamente ser avaliados por topografia corneana computadorizada, paquimetria corneana e mapeamento de retina. É importante que o grau de óculos esteja “estacionado”.

Os resultados alcançados com a tecnologia atual têm sido excelentes.

Existe duas maneiras de aplicar o excimer laser:

 

1- PRK, na qual o laser é aplicado diretamente sobre a córnea após a desepitelização. Esta técnica geralmente  é utilizada para casos de graus baixos de miopia.

 

2 - LASEK 
A técnica denominada LASEK é realizada  tratando a superfície corneana com álcool, removendo o epitélio corneano. Aplica-se o laser e posteriormente recoloca-se o epitélio corneano.

 

3 - LASIK, na qual um aparelho chamado microcerátomo confecciona um flap corneano com pedículo  (“uma tampa”) e após o deslocamento lateral ou superior deste, o laser é aplicado sobre o estroma corneano. Terminado a ablação, o flap é reposicionado. Esta técnica é a mais utilizada no momento, e serve para corrigir miopia, astimatismo e hipermetropia.

Veja como:

microcerátomo confecciona
um flap corneano
O flap aberto
O laser sendo aplicado

O flap reposicionado

Maiores Informações: www.abonet.com.br/abo/654/abo654.htm#reasons

 

Facoemulsificação

A cirurgia de catarata é realizada pelo Dr. André Parolin pela técnica de facoemulsificação. Atualmente esta é a técnica mais avançada disponível. Utiliza o facoemulsificador, que é um aparelho de alta tecnologia que permite realizar a cirurgia através de incisão corneana de 3 mm.
A facoemulsificação é realizada de rotina sob anestesia tópica (anestesia com colírios) e implante de lente intra-ocular dobrável.
Atualmente temos implantado lentes monofocais asfericas e multifocais .
Não há a necessidade de pontos. Em alguns casos há a necessidade de sedação .
A cirurgia é realizada em centro cirúrgico próprio para melhor conforto do paciente .
Esta técnica proporciona rápida recuperação visual.

Sala de cirurgia

 

Biometro de Imersão

 

Topógrafo

Microscópio Especular Tomey EM 3000

Auto Refrator TOPCOM KR 8900

Clinica

 

     

Dr. André Luiz Parolin Ribeiro

Cirurgião Oftalmologista - CRMSP 89.269

Especialista pela Escola Paulista de Medicina

Especialização em transplante de córnea e cirurgia refrativa pela Escola Paulista de Medicina

Título de Especialista pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Médico inscrito no Sistema Nacional de Transplantes

Excimer laser no Hospital Albert Eisntein de São Paulo